Minutos antes do início desta aventura a 7!!

Diários duma viagem em autocaravana..

Não podiam faltar as pipocas...

Dia 1 Ovar - Biarritz

Longa jornada..

Dia 1 Espanha, em "jornada" continua

Acordar num número de porta algures nos arredores de Santarém.. um acordar tardio e sem corridas ou correrias.. na noite prévia tudo pronto para a partida. As primeiras férias a 7.. as primeiras férias de autocaravana para alguns, a maioria.. o único repetente nestas andanças, o Miguel!

Saimos de Santarém à hora prevista e a tempo de chegar a Ovar, primeira etapa, 223km, dois carros, dada a logística pessoas e respectivas bagagens..

Começaram os almoços "junk food", veremos o que a balança irá ditar no regresso.

Saimos de Ovar pelas 16h30.. deu pontapé de saída na condução o Miguel e assim se deu o início da nossa aventura pela Europa.. objectivo à partida ambicioso, visitar a cidade de Oslo. O nosso objectivo inicial, Oslo e estrada Atlântica ficará para uma outra viagem, seriam precisos mais uns quantos dias para fazê-la e desfrutar da sua beleza.

A viagem correu bem, grande excitação inicial, tudo uma novidade.. fizemos algumas paragens, sobretudo para idas ao W.C., apesar de transportarmos um ;-) jantar nas proximidades de Valladolid, Espanha, no "La Tapita Castellana", próxima paragem seria para acomodar meninos e seguir viagem até Biarritz, França, após completados 848km. Grande e ambiciosa etapa. Pernoitamos no parque de estacionamento da praia da Madrague, onde chegamos pelas 3h30 já de 22 de julho.

 

Concluida assim a primeira etapa, 7h de viagem, 848km, Espanha atravessa-se bem, com o espírito "café solo"; no entanto, numa próxima ida, agendar saída de Portugal mais cedo, para usufruir melhor da chegada a Biarritz, que merece sem dúvida uma visita/ um passeio. Aqui começamos a dar uso a uma aplicação extremamente útil para quem viaja de autocaravana, https://park4night.com.

Dia 2 Biarritz - Paris

Plage du Métro, Fôret des Landes, Tarnos

Dia 2 Mergulho no Atlântico Norte

Despertar não foi fácil.. falta de descanso para todos, menos para os mais pequenos, ainda assim o sono a fazer-se sentir até aquisição duns "chocolatines", vulgo napolitanas, dumas baguetes e alguma charcutaria local.. tomamos o pequeno almoço a bordo da nossa casa móvel próximo do estuário do rio Adour no Atlântico Norte, onde minutos depois fomos dar um mergulho. Recomendamos a praia do "Métro", em "Fôret des Landes, Tarnos. Ficariamos todos ali para um longo dia de praia, mas Paris chama por nós...

Almoço uns bons Kms depois nas imediações de Bordéus, naquela que foi a estreia da nossa cozinha ambulante, fazendo um pic-nic e degustando uns ovos mexidos com salsicha.

Chegamos ao destino numa porta, numa rua algures na cidade de Antony, já depois das 22h, com 780Km feitos e um belissimo jantar de boas vindas à nossa espera. Obrigada, padrinhos pela sempre grandiosa hospitalidade! Sabe sempre bem chegar aqui, padrinhos, segundos pais, amigos do coração... bom estar de volta onde nos sentimos em casa :-) ao jantar tardio seguiu-se ainda o chazinho da praxe, nada comparado com os litros bebidos no passado durante longos serões de conversa, mas o suficiente dado o adiantado da hora para nos actualizarmos das vidas de uns e outros; e repor energias.

 

Aqui a dica, não vale a pena percorrer a França por auto estrada, mais dispendioso e perde-se toda a beleza do percurso pela estrada nacional ou secundária. Biarritz - Paris vale a pena voltar a fazer com mais tempo, uma viagem dedicada aos castelos do vale do Loire, por exemplo

Dia 3 - Paris

Passeio possivel num dia pela cidade luz

Dia 3 Paris

Noite tão descansada, que se acordou tarde para quem ainda queria fazer um treino de corrida, aproveitou-se para colocar o sono em dia.. saimos assim pelas 11h30, apanhou-se RER, depois TRAM até Porte Dorée, o objectivo foi visita ao zoo de Vincennes, pensando nos mais novos. Aí nos divertimos e destilamos durante a visita ao parque zoológico de Paris, uma divisão curiosa simulando a habitat natural de cada animal, Patagónia >> Planície ou Savana Africana >> Europa >> Guiana >> Madagascar, perdemo nos por ali cerca de três horas.. ups, isso mesmo, pouco ficou por ver, talvez os leões, pois pelo calor que se fazia sentia estariam bem escondidos.

 

Almoço "junk food" número 2, antes de voltarmos a apanhar o metro da Porte Dorée até Hôtel de Ville, onde começamos o nosso passeio pedestre por Paris.

 

Do Hôtel de Ville, seguimos junto ao Sena, passando pelos Bouquinistes, fomos até ao Museu do Louvre, a visita à Gioconda de Leonardo da Vinci fica para uma outra visita à cidade luz com mais tempo. Ficamo nos um bom bocado por ali, uns para fotos junto às pirâmides e com elas; e outros para aproveitar a fonte das mesmas para se refrescar. Seguiu-se pelo "Jardin des Tuilleries" até à praça  "de la Concorde", onde apanhamos um tuc tuc até à "Tour Eiffel", para descontentamento de alguns não subimos a torre dado o número de turistas e o adiantado da hora para o jantar. Valeu o passeio e todas as fotos.. e ficou a vontade de voltar uma e outra vez.

 

Dica a necessidade de gestão de tempo e do planeamento da visita num dia numa cidade com tanto para ver.. optou-se por visita ao zoo dada a presença de crianças e a possibilidade assim de desanuviar do tempo passado em viagem, fechado numa autocaravana. A sugestão duma saída no metro próximo do "Panthéon", fazer a "Rue Mouffetard" e compor o seu pic nic, a fazer no "Jardin du Luxembourg", ali bem próximo; igualmente bom programa para se fazer com crianças, neste jardim existe a possibilidade de passeio em póneis, entre outras diversões. Outra seria subir ao "Sacré Coeur" de funicular, passear pela "place du Têtre", visitar as vinhas de Paris, a igreja e descer pela escadaria até à estação de metro Pigalle ou Anvers. Uma outra seria Hôtel de Ville, passar a ponte para a "île de La Cité", visitar Notre Dame, caminhar pelo Sena ou apanhar uma viagem no "la vedette" ou "bateaux mouche", por exemplo junto à Pont Neuf ou nas imediações da Torre Eiffel, e terminar numa subida ao Arco do Triunfo depois de subir a pé "Les Champs Élysées". Muitas mais dicas e sugestões pela cidade de Paris e arredores em breve. Espera-se!

 

Mais uma dica, fundamental não esquecer, sobretudo com crianças e em dias esperados de temperaturas elevadas, a hidratação e a alimentação, fruta, frutos secos, por exemplo.

Dia 4 "on the road"

França - Bélgica - Alemanha

Dia 4 Mais um dia "on the road"

Eis chegado mais um dia esperado de estrada, depois de cerca 16Km caminhados a pé pela magnífica e sempre surpreendente cidade de Paris. Despertar mais cedo para o longo dia ao volante, ficou a corrida mais uma vez adiada! Mais um obrigada aos meus padrinhos pela forma sempre fantástica com a qual me recebem a mim e aos meus amigos. A saudade é sempre muita e dificil de combater, são estes momentos que nos fazem esquecer as barreiras físicas.

 

Seguimos pela estrada nacional, sem portagens, assim usufruindo da paisagem rural de França até Bélgica; mais propriamente até à região fronteiriça de Macquenoise, Momignies, na Bélgica, onde foi rodado o filme "Rien à Declarer", de Dany Boon, em 2010. Dada a necessidade do chamado "penso gástrico", paramos numa área de repouso ou parque de merendas próximo de Chimay, pelas 13h30, onde almoçamos e os meninos tiveram oportunidade para jogar um pouco à bola. Chimay, pequena cidade muito conhecida devido aos deliciosos queijos e cervejas fabricados desde 1862 por monges trapistas na Abadia de Scourmount; e ainda pelo circuito de rua, usado durante o Grand Prix des Frontières entre 1929 e 1972.

 

Continuamos caminho e chegamos até Aachen (Aix-la-Chapelle, em francês)na Alemanha, passando depois pela cidade de Colónia, vislumbrando apenas ao longe as torres da Catedral de Colónia, igreja católica em estilo gótico, terceira mais alta no mundo, património da UNESCO. Sem dúvida a merecer oportunamente uma visita.

 

Aos 688Km de viagem, paragem para jantar em Bielefeld, numa cervejaria local Brauhaus Joh. Albrecht, espaço bem agradável e onde tivemos uma agradável degsutação. Preço médio ou aproximado 110€ para 7. Aqui tivemos oportunidade para caminhar um pouco e assim relaxar pela cidade alemã fundada em 1214, descrita como uma das mais seguras do país.

Chegámos ao destino final do dia pelas 2h30, Lubeck, ao fim de percorridos 979Km.

Dia 5 "uma experiência de ferry"

De Gromitz, na Alemanha, a Trollhattan, na Suécia

Dia 5 "uma experiência de ferry"

Despertar nas imediações de Lubeck, rotinas de quem anda de autocaravana e seguimos viagem até Gromitz, localidade balnear, aí usufruimos de 45 minutos na água... uma praia com um mar sem ondas e quase sem sal, nível de salinidade muito baixo, quase parecia estarmos a nadar num grande lago. Após um belo momento de descontração, seguimos viagem até ao primeiro ferry do dia, aquele que nos levou à Dinamarca (Puttgarden - Rodby). Foram 45 minutos duma experiência nova e bem curiosa para os mais novos, como disse o nosso número 2, "quase sei o que será fazer um cruzeiro".

 

Helsingor seria o nosso destino final na Dinamarca para apanharmos novo ferry até Helsinborg na Suécia. Paragem antes numa área de serviço/ repouso, antes de Maribo; enquanto o almoço era confeccionado, os meninos aproveitaram para desfrutar jogando um jogo de roleta com "drops" mistério, foi a rizada geral. Bom ambiente, a superar momentos ditos de crise ultrapassados assim da melhor forma possível, a RIR!

 

Após a travessia para Helsinborg, na Suécia, viagem de cerca 15minutos, paragem para mais um momento de descontração e brincadeiras na água. Um final de tarde em Skälderviken-Havsbaden, Ängelholm (os ventos na baia de Skälderviken tornam esta praia um local de eleição para velejadores, surfistas e windsurfistas). Nas proximidades,  tivemos uma experiência mais desagradável num local de "fast / junk food" bem conhecido de todos; mas com o esperado estorno por serviço inadequado. 

 

Chegada a Trollhattan pelas 00h30.. 628km, depois do início do dia.. já horas de darmos os parabéns ao membro mais novo, nomeado 3!

Canal de Trollhattan

Trollhattan cidade sueca com história, data desde 1413 a fundação desta cidade junto ao rio Gota; assim denominada por lendas populares. O povo acreditava que viviam tróis gigantes no rio Gota e que as ilhas no rio eram seus chapéus ("hättan" significa "o chapéu", em sueco). Durante séculos, Trollhättan constituiu um obstáculo para os barcos que navegavam pelo rio, até ter sido construída uma eclusa no século XIX. Foi sendo alvo de sucessivas reformas, sendo a última, a actual, que data de 1916; celebra-se desde então anualmente a abertura das portas do rio. Nesta cidade, encontra ainda o Museu SAAB, no local onde outrora existiu a fábrica de locomotivas da NOHAB. Existe também uma infraestrutura para a produção de filmes conhecida por Trollywood. Entre os filmes lá filmados, contam-se Fucking ÅmålDancer in the Dark e Dogville.

 

Dica para compra de bilhetes para os ferrieshttps://www.directferries.pt ou https://www.scandlines.com

Dia 6 Aniversário do 3 !!!

Liserber - Parque de Diversões em Gotemburgo

Dia 6 Aniversário!!! "Liseberg Park"

 

 

 

Miguel e Mafalda, acordaram ao nascer do dia à beira do rio Gota, no Canal de Trollhattan, mas ups.. afinal ainda eram 4h da madrugada, aqui o sol nasce mais cedo.. corrida a cortina..

 

Pelas 9h30, caminhada ao longo do rio desfrutando a magnífica paisagem até chegares algures na cidade numa porta que se abriu para nos receber com um pequeno almoço nórdico..

Após pequeno almoço prolongado e tardio, lá fomos os 7 até Gotemburgo, destino final parque de diversões Liseberg.

 

Um dos maiores parques de diversões da Europa, o maior da Escandinávia e inaugurado em 1923! Nele a montanha russa de madeira mais rápida, e eu que o diga... embora para mim tenha parecido a mais longa!! BALDER de seu nome. Bela foto a registar o momento e o meu pânico também. Os mais pequenos, 4 e 5, ficaram com o Miguel e desfrutaram igualmente de diversões.

 

Abrimos no Kållerado (rafting em botes circulares) e fechamos no Flumeride (escorregador aquático para canoas, juntos as hostes, passando entre eles por montanhas russas e pela casa assombrada, ui... medoooo. Dia divertido apesar de alguns stresses iniciais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O 3 fez 12 anos!! Que seja sempre muito feliz! Parabéns, filho!!

 

Para finalizar o dia, grande jantar organizado pelos tios dedicados e sempre disponíveis assim como compreensivos, posto o cancelamento de última hora do jantar no restaurante Kanal, dado o último pedido no parque, para deleite e emoção dos 1 ao 5 e a Mafalda, a última montanha russa do dia, a FLAME FLASH!

 

Regresso à autocaravana, só os mais velhos, caminhando mais uma vez pelo rio. Totalizados a pé, 19Km.. para que conste apenas os mais crescidos tiveram esse prazer!!! 

 

Abertura esperada da Valkyria, https://www.liseberg.se.

Canal de Trollhattan - vista nocturna

Dia 7 O meu aniversário!

De Trollhattan a Oslo! Venham os 40!!

Dia 7 Mais um aniversário! O meu!

Bom dia! 39 anos! Concluidos... comecem os tão falados e afamados anos quarenta, aqueles a partir dos quais, dizem!, tudo realmente muda. Como já me sinto há muito com quarenta.. Como dizem os jamaicanos, "No problem"! 

 

Acordar e tomar o pequeno almoço na companhia da minha irmã, sempre bom! Só conseguimos mobilizar o pessoal para sair de casa, já passava das 11h30..

 

Seguimos rumo a norte, primeira paragem seria Grebbestad; no entanto, dado o adiantado da hora, a visita a esta aldeia piscatória (conhecida pelo camarão escandinavo e ostras) ficou adiada e fomos directos a Tjurpannans Naturreservat, parque e reserva natural marítima.. mergulhos no mar e saltos de rocha.. almoço pic nic improvisado com os mantimentos a bordo, não podemos queixar nos pois acabamos por degustar o maravilhoso queijo francês Chaussées aux Moines.

 

Após um bom momento de repouso e caminhada, apesar dos lamentos de alguns... seguimos até Oslo, sem a paragem inicialmente prevista numa aldeia medieval fortificada, Fredrikstad, que se localiza na fronteira entre Noruega e Suécia. Realmente temos que regressar.. 

 

 

 

 

 

 

Finalizou-se um dia com um belo jantar de aniversário à moda campista, variedade de salchichas com massa, após entrada "tábua" de queijos e enchidos, brindado com um bom vinho tinto português Quinta de Pancas.

 

Fomos ainda brindados com o fenómeno natural eclipse total da lua (http://oal.ul.pt/eclipse-total-da-lua-em-27-28-de-julho-de-2018/), pouco perceptivel nos ceús da Escandinávia.

 

Recomenda-se a quem visite Oslo, neste modo de viagem ou com tenda, o parque de campismo Bogstad Camping.

De novo a mesma dica, apesar de sabermos que a viagem em autocaravana tem um ritmo diferente, e que férias é sinónimo de descanso, e que sou apologista da vida sem relógio, quando queremos conhecer ou visitar algo mais, temos que fazer um esforço no acordar.. "deitar cedo e cedo erguer", será aqui "bom para a alma deste negócio"..

A tentativa de captar o eclipse total da lua.. a lua vermelha..

Dia 8 Oslo

Akker Brygge

Frammuseet

FRAMM & GJOA

Dia 8 Oslo

Mais um dia...despertar no Bogstad Camping... pequeno almoço tranquilo e descontraído, enquanto o pessoal mais novo ia surgindo do seu mais ou menos rabugento acordar...saimos novamente tarde, ao meio dia, sobrando assim pouco tempo para visitar a cidade. De transportes publicos até ao centro da cidade, saímos na zona sul da cidade, junto à Rådhuset, Câmara Municipal. Demos inicio a um passeio por uma das zonas actualmente mais modernas da cidade, Akker Brygge, antigo porto principal da cidade, desfrutando da magnífica arte urbana dispersa pela cidade. Dado a adiantado da hora, paragem para almoçar no Pepper´s Pizza, antes de apanharmos o ferry para atravessarmos o fiorde de Oslo até à península de Bygdøy, ilha dos museus. Aqui visitamos o Frammuseet, onde se encontra o FRAMM e o Gjøa. Embarcações usadas por Amundsen em investigações ao polo Norte e Sul. Ainda antes da primeira grande guerra mundial (1914-1918). O FRAMM é um museu vivo, com o seu interior intacto e os artefactos utilizados nas expedições em exposição no seu interior, fizeram a delícia dos mais velhos e mais novos. Do Frammuseet saímos a pé até ao museu do Navio Viking, aí só entraram os mais pequenos. De regresso à cidade, ficou para uma próxima visita o Vigelandsparken, onde se pode apreciar em magnificas esculturas “vivas”, de Gustav Vigeland, “histórias” sobre o ciclo da vida do Homem, do nascimento à morte. Tempo ainda para uma longa caminhada até ao novo edifício da Ópera, passando pela Akershus Festning (Fortaleza). Desde o século XIII já serviu como forte militar, bastião, prisão e até residência real e hoje, ainda é patrulhada pela guarda real. De regresso à estação central de Oslo nas imediações da Ópera, começou de novo a chuva e assim nos brindou o resto do dia e noite. Dadas as alterações climatéricas, jantar a 8 no exiguo espaço interior da autocaravana, seguido de jogos em família.

 

Dica, Oslo é uma cidade que vale a pena visitar uma e outra vez, usufruindo da arquitectura, da arte de rua, dos museus, dos fiordes... Precisavamos de mais um dia para percorrer a rua pedonal Karl Johans gate, em redor da qual se situam a maior parte dos monumentos dignos de visita em Oslo; a saber a catedral, Oslo Domkirke; a praça Stortorvet, onde se encontra o inconfundível Christian IV, rei da Dinamarca; o imponente palácio Stortinget, em suma o Parlamento Norueguês; e percorrendo o pequeno jardim defronte do Parlamento, temos o Nationaltheatre, um dos teatros mais prestigiados da Noruega (ou Teatro Henrik Ibsen). No final da rua Karl Johans gate, situa-se Slottet, Palácio real, residência oficial da família real norueguesa, cuja construção foi iniciada no séc.XIX durante a união entre a Suécia e a Noruega. A não perder o Parque Vigeland!!

Fiorde de Oslo - Fortaleza

Oslo Fiorde Sauna - Ópera

Dia 9 O início do regresso...

Dado estarmos a sair novamente perto das 11h... o Vigeland Park Museum ficou para outra oportunidade... após as diligências próprias duma vida numa autocaravana (depósito de águas limpas.. águas sujas.. e "cassete" do wc), lá demos início ao nosso retorno. Ainda que por estrada nacionais, sem tempo para visitar locais como Halden... fortificação medieval... seguimos até uma cidade, já sueca, Stromstad para almoço. Chegamos a Trollhattan pelas 18h30, e deixamos a tia um pouco, junto da sua cara metade... e fomos dar um mergulho a Ore Sjo, um lago ali proximo. Terminou se o dia de retorno com um excelente jantar em familia... andados mais 310km